domingo, 28 de maio de 2017

Bacalhõa Buddha Eden-Quinta dos Loridos.



O Buddha Eden é simplesmente fantástico! Um sabor a oriente, numa terra portuguesa com certeza!



Valor da entrada: 4€

Este maravilhoso jardim, o maior jardim oriental da Europa, também conhecido pelo jardim da paz, fica numa quinta vinicula, a Quinta dos Loridos, que foi mais tarde adquirida pela Bacalhõa Vinhos de Portugal.

Inicialmente estava difícil entender onde ficava e qual a relação entre a Quinta dos Loridos e a Bacalhõa e qual a relação entre um Jardim oriental e vinhos de Portugal.
Morada: Quinta dos Loridos, 2540-480 Bombarral. São apenas 15 a 20 minutos de Óbidos.

Pois bem. Então em Portugal mantêm-se as tradições dos vinhos e a origem da Quinta, as estátuas vindas do oriente surgem como forma de protesto aos Buddhas destruídos no Afeganistão em 2001. Então estas estátuas são uma homenagem à paz.


Existem autênticas obras de arte espalhadas por todo o jardim, para além das estátuas orientais, existem também esculturas de arte moderna e contemporânea e muitas esculturas africanas. Vale mesmo a pena visitar, adorei!

Quem teria tal ideia de juntar a Arte, jardim e vinhos?
José Berardo

Existe um comboio, super engraçado que custa 3€ vale mais ou menos a pena.. Eu gostei pela experiência, mas não que se poupassem muito as pernas!
A volta também é pequena e não é assim tão difícil de ver tudo a pé, como nos tentam vender à entrada. Mas foi engraçado.
Entender o funcionamento do comboio foi coisa complicada para muitos, imagino quem lá trabalha o que passa. Paga-se por uma viagem e o comboio começa e acaba no mesmo sítio, como acho que é compreensível. Durante o percurso apenas encontram 3 paragens designadas para entrar e sair do comboio, uma vez chegando à ultima (também a primeira) acaba a viagem!
Mas fazer a malta entender? Pessoas de alguma idade não lhes apetecia andar por aí a pé e queriam ficar no comboio às voltas pelo parque o dia todo! Ora, pois está claro que sim.
Por aqui já dá para ver que o percurso não é mesmo muito grande pois se tem apenas 3 paragens! Aconselho a retomar ao comboio na paragem que saiu, ou pode até perder o tempo de  viagem no comboio.

Eu, como já referi adorei e recomendo, mas apenas alguns pontos negativos:

Neste jardim, não se pode fazer pic-nics, ou deitar na relva, o que acho absolutamente ridículo. Até concordo que não se possa levar comida cozinhada, mas sandes, bolachas.. ou simplesmente estar na relva deitado? Para ser sincera ninguém me disse que não podia deitar-me na relva, mas estando esta a ser regada e consequentemente molhada...
Parece-me mais jardim museu. Entra, visita e sai. O que acho que para longa viagem merece passar lá o dia apenas a apreciar a natureza.
Poderiam criar zona de lazer por exemplo, o que não falta é espaço.

Também não aconselho mesmo irem comer ao restaurante tipo refeitório que se encontra na entrada. Se quiserem gastar 11,50€ e comer mal, Tudor bem! Foi o que gastei e não consegui comer a sopa, pois para além de péssima tinha um pico a azedo! Não têm refeições vegetarianas, mas como eu como ovos, lá me fizeram uma omelete, o que foi a parte simpática mas concluindo paguei 11,50€ por Uma omelete uma sobremesa e café. Explica-se porque não se pode levar comida!
Quanto às casas de banho, junto a este refeitório, são nojentas!

Podem utilizar as da entrada, pois são cuidadas e limpas.
Durante a visita ao jardim não reparei se tinha, pois não utilizei, mas no mapa está referenciado pelo menos um WC no jardim.